Twitter

Total de visualizações de página

quinta-feira, 16 de junho de 2016

Olhe com cuidado antes de comer uma banana, você pode se arrepender!

A banana é uma das frutas mais consumidas no mundo, por seu sabor delicioso e as suas muitas propriedades ela se tornou digna de fazer parte da dieta de muitas pessoas. Esta fruta é conhecida por ser rica em carboidratos, o que a torna uma das maiores fontes de energia. Ela é composta por três tipos de açúcares (frutose, sacarose e glicose), compensadas com teor mínimo de gordura e alto teor de fibras, que ajuda a regular a absorção de suas propriedades.
O consumo de banana é especialmente recomendado em dietas de crianças que, em muitos casos requerem um alimento que ajude a satisfazer a fome rapidamente. Além disso, ela é altamente recomendada para atletas que precisam de energia para melhorar seu desempenho. No entanto, apesar de possuir todos esses benefícios, existem algumas outras razões que você deve conhecer antes de comer uma banana, pois algum dia é possível que tenha problemas.
Embora as bananas sejam frutas tropicais e são muitos os países que o utilizam como pratos gourmet, onde são usadas como ingrediente principal. Não devemos ignorar certas coisas que podem ser indicativos de um alimento em condições ruins. E que podem trazer complicações de saúde.
Continue lendo nas próximas páginas!


Mary Layton, uma britânica de 43 anos, congelou quando viu uma espécie de teia de aranha presa em bananas que ela tinha acabado de comprar no supermercado Tesco de Pontardawe, no sul de Gales.
A princípio, ela pensou que era apenas mofo causado por umidade, mas quando olhou bem, percebeu que as bananas estavam cheias de aranhas em casulo, além do fato de que elas estavam se movendo. Horrorizada, ela colocou as bananas em um saco de lixo e chamou o atendimento ao cliente.
O que Mary não sabia sobre a sua experiência desagradável foi que ela tinha estado muito perto de uma das espécies mais venenosas do planeta, a Aranha Errante Brasileira, que na fase adulta pode ser tão grande quanto uma mão e que é particularmente agressiva com tudo que entra em seu caminho.



Como se isso não bastasse, é um dos aracnídeos mais rápidos e, normalmente causam pânico em navios que transportam frutas da América do Sul para o resto do mundo. Visto que criam buracos dentro das bananas surpreendendo os marinheiros. Ela é bastante comum no Brasil, Argentina e no Uruguai.
Se alguém tiver a infelicidade de receber uma de suas mordidas, ele começa a perder o controle muscular, a respiração fica cada vez mais lenta e finalmente, a pessoa tem uma parada cardíaca o levando a morte. Mas durante seu martírio e especialmente se a vítima for um homem, ele também terá um efeito colateral peculiar, uma ereção permanente de quatro horas.
Falando ao Yahoo News, Mary, uma dona de casa e mãe de dois filhos, disse que a experiência poderia ter sido muito pior. "Fui eu quem abriu o saco com as bananas infestadas para a minha filha Siri de seis anos, ela queria comer uma. Primeiro descobrimos uma pequena marca como uma mordida e em seguida, o casulo. Se Siri abrisse o saco e tivesse comido sozinha, certamente ela não teria notado as aranhas".
"Eu estava muito assustada. Eu não gosto de aranhas, mas quando li sobre a Aranha Errante Brasileira, eu fiquei atordoada com o dano potencial que elas poderiam ter causado", disse ela perturbada.
As Aranhas Errantes Brasileiras normalmente agem durante a noite na selva, enquanto de dia dormem dentro de uma banana ou outra fruta. É por isso que também é conhecida como a "aranha da banana".
Apesar da gravidade do que aconteceu, parece que Tesco não levou o caso tão a sério em um primeiro momento. Maria revela: "Só me disseram para levar a etiqueta com o código de barras para o supermercado que me dariam o meu dinheiro de volta, nada mais."
Um porta-voz da empresa expressa "sinceras desculpas" para a dona de casa e anunciou uma investigação para esclarecer o que aconteceu.
Compartilhe esse artigo com seus amigos e familiares para que tenham cuidado antes de comer uma banana!
Compartilhe esta foto no Facebook

quinta-feira, 26 de maio de 2016

Dilma Rousseff




Gilmar Mendes. Foto: Carlos Humberto/SCO/STF
montagemodebrechtdilma

Marcelo Odebrecht quer Dilma, Mantega e Palocci como suas testemunhas na Lava Jato

Maior empreiteiro do País, preso desde junho de 2015 e condenado a 19 anos por corrupção, lavagem de dinheiro e associação criminosa, arrola presidente afastada e ex-ministros em ação penal da 'Operação Xepa'
Dilma. Foto: Dida Sampaio/Estadão

Ação popular pede ‘fim das regalias’ a Dilma

Advogado afirma à Justiça Federal de São Paulo que presidente afastada não tem direito a remuneração integral, a jatos da FAB, a helicópteros presidenciais e nem à moradia no Alvorada
Por Fausto Macedo, Julia Affonso e Ricardo Brandt
Michel Temer e Dilma. Foto: Dida Sampaio/Estadão

No Twiter, 330 mil vezes Temer, 90 mil #TchauQuerida

Presidente em exercício, que assumiu nesta quinta, 12, e a petista Dilma são citados em todo o mundo
Por Roberta Barbieri, especial para o Estado
#TchauQueridaDay (6)

#TchauQueridaDay é um dos assuntos mais falados do Twitter

Impeachment de Dilma em votação no plenário do Senado domina as redes sociais
Por Roberta Barbieri, especial para 'O Estado'
dilmafogo

Por 15 votos a 5, comissão do Senado aprova impeachment de Dilma

A previsão é de que o parecer final da comissão seja votado no plenário do Senado na quarta-feira, 11.
Por Redação

Dilma e Lula são alvos da Procuradoria. Fotos:  Dida Sampaio e Werther Santana/Estadão

Entenda as suspeitas de Janot contra Dilma e Lula

‘Revoltados on line’ acusa Dilma na Corte Interamericana por violação de direitos humanos

Grupo cita Operação Lava Jato e atribui a presidente, em petição de 24 páginas, 'prática de infrações político-administrativas ensejadoras de inegáveis e repetitivas violações da Declaração Interamericana de Direitos Humanos'
Por Julia Affonso, Mateus Coutinho e Fausto Macedo

Áudios de Renan Calheiros são divulgados: "Ministros do STF estão putos com ela"

Gravado, Renan Calheiros dizia ser inviável a permanência da presidente Dilma Rousseff no poder. "Todos estão putos com ela", afirmou, em referência aos ministros do STF. Nos áudios, o presidente do Senado relata uma conversa que teve com Aécio Neves e diz que o tucano estava 'com medo'

renan calheiros lava jato aécio neves
Renan Calheiros é o novo personagem dos áudios. Em diálogo com Sérgio Machado, presidente do Senado fala sobre Dilma, Aécio, STF, Moro, impeachment e Lava Jato
O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), defendeu mudança em lei para impedir que um preso se torne delator, a exemplo do que tem ocorrido na Operação Lava Jato.
A declaração foi dada em conversa gravada com o ex-senador e ex-presidente da Transpetro, subsidiária da Petrobras Sérgio Machado. Alvos da Lava Jato, os dois foram apontados por delatores como beneficiários do esquema de corrupção na Petrobras.
As informações são da Folha de S.Paulo, que também reproduziu na segunda-feira diálogo entre Machado e o senador Romero Jucá (PMDB-RR). Após a divulgação do áudio em que defendia o impeachment de Dilma Rouseff como única forma de parar as investigações da Lava Jato, Jucá foi pressionado a deixar o Ministério do Planejamento.
Na conversa, Renan afirma que também é necessário “negociar” com membros do Supremo Tribunal Federal (STF) “a transição” de Dilma Rousseff, afastada do mandato. Em um dos diálogos, Machado sugere ao senador alagoano um “pacto” para “passar uma borracha no Brasil”.
Renan responde: “Antes de passar a borracha, precisa fazer três coisas, que alguns do Supremo [inaudível] fazer. Primeiro, não pode fazer delação premiada preso. Primeira coisa. Porque aí você regulamenta a delação”.
Responsável pela gravação, Machado procurou o presidente do Senado, Jucá e o ex-presidente José Sarney em busca de apoio, por temer ser preso e virar réu colaborador.
Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook
Em outro trecho, o ex-presidente da Transpetro questiona por que Dilma não “negocia” com ministros do Supremo. “Porque todos estão putos com ela”, respondeu Renan.
O senador disse, ainda, que todos os políticos “estão com medo” da Lava Jato. “Aécio [Neves, presidente do PSDB] está com medo. [me procurou] ‘Renan, queria que você visse para mim esse negócio do Delcídio, se tem mais alguma coisa’”, contou Renan, em referência à delação de Delcídio do Amaral (MS) que fazia menção ao tucano.
Confira a transcrição dos áudios abaixo:
SÉRGIO MACHADO – Agora, Renan, a situação tá grave.
RENAN CALHEIROS – Grave e vai complicar. Porque Andrade fazer [delação], Odebrecht, OAS. [falando a outra pessoa, pede para ser feito um telefonema a um jornalista]
MACHADO – Todos vão fazer.
RENAN – Todos vão fazer.
MACHADO – E essa é a preocupação. Porque é o seguinte, ela [Dilma] não se sustenta mais. Ela tem três saídas. A mais simples seria ela pedir licença…
RENAN – Eu tive essa conversa com ela.
MACHADO – Ela continuar presidente, o Michel assumiria e garantiria ela e o Lula, fazia um grande acordo. Ela tem três saídas: licença, renúncia ou impeachment. E vai ser rápido. A mais segura para ela é pedir licença e continuar presidente. Se ela continuar presidente, o Michel não é um sacana…
RENAN – A melhor solução para ela é um acordo que a turma topa. Não com ela. A negociação é botar, é fazer o parlamentarismo e fazer o plebiscito, se o Supremo permitir, daqui a três anos. Aí prepara a eleição, mantém a eleição, presidente com nova…
[atende um telefonema com um jornalista]
RENAN – A perspectiva é daquele nosso amigo.
MACHADO – Meu amigo, então é isso, você tem trinta dias para resolver essa crise, não tem mais do que isso. A economia não se sustenta mais, está explodindo…
RENAN – Queres que eu faça uma avaliação verdadeira? Não acredito em 30 dias, não. Porque se a Odebrecht fala e essa mulher do João Santana fala, que é o que está posto…
[apresenta um secretário de governo de Alagoas]
MACHADO – O Janot é um filho da puta da maior, da maior…
RENAN – O Janot… [inaudível]
MACHADO – O Janot tem certeza que eu sou o caixa de vocês. Então o que que ele quer fazer? Ele não encontrou nada nem vai encontrar nada. Então ele quer me desvincular de vocês, mediante Ricardo e mediante e mediante do Paulo Roberto, dos 500 [mil reais], e me jogar para o Moro. E aí ele acha que o Moro, o Moro vai me mandar prender, aí quebra a resistência e aí fudeu. Então a gente de precisa [inaudível] presidente Sarney ter de encontro… Porque se me jogar lá embaixo, eu estou fodido. E aí fica uma coisa… E isso não é análise, ele está insinuando para pessoas que eu devo fazer [delação], aquela coisa toda… E isso não dá, isso quebra tudo isso que está sendo feito.
RENAN – [inaudível]
MACHADO – Renan, esse cara é mau, é mau, é mau. Agora, tem que administrar isso direito. Inclusive eu estou aqui desde ontem… Tem que ter uma ideia de como vai ser. Porque se esse vagabundo jogar lá embaixo, aí é uma merda. Queria ver se fazia uma conversa, vocês, que alternativa teria, porque aí eu me fodo.
RENAN – Sarney.
MACHADO – Sarney, fazer uma conversa particular. Com Romero, sei lá. E ver o que sai disso. Eu estou aqui para esperar vocês para poder ver, agora, é um vagabundo. Ele não tem nada contra você nem contra mim.
RENAN – Me disse [inaudível] ‘ó, se o Renan tiver feito alguma coisa, que não sei, mas esse cara, porra, é um gênio. Porque nós não achamos nada.’
MACHADO – E já procuraram tudo.
RENAN – Tudo.
MACHADO – E não tem. Se tivesse alguma coisa contra você, já tinha jogado… E se tivesse coisa contra mim [inaudível]. A pressão que ele quer usar, que está insinuando, é que…
RENAN – Usou todo mundo.
MACHADO –…está dando prazos etc é que vai me apartar de vocês. Mesma coisa, já deu sinal com a filha do Eduardo e a mulher… Aquele negócio da filha do Eduardo, a porra da menina não tem nada, Renan, inclusive falsificaram o documento dela. Ela só é usuária de um cartão de crédito. E esse é o caminho [inaudível] das delações. Então precisa ser feito algo no Brasil para poder mudar jogo porque ninguém vai aguentar. Delcídio vai dizer alguma coisa de você?
RENAN – Deus me livre, Delcídio é o mais perigoso do mundo. O acordo [inaudível] era para ele gravar a gente, eu acho, fazer aquele negócio que o J Hawilla fez.
MACHADO – Que filho da puta, rapaz.
RENAN – É um rebotalho de gente.
MACHADO – E vocês trabalhando para poder salvar ele.
RENAN – [Mudando de assunto] Bom, isso aí então tem que conversar com o Sarney, com o teu advogado, que é muito bom. [inaudível] na delação.
MACHADO – Advogado não resolve isso.
RENAN – Traçar estratégia. [inaudível]
MACHADO – [inaudível] quanto a isso aí só tem estratégia política, o que se pode fazer.
RENAN – [inaudível] advogado, conversar, né, para agir judicialmente.
MACHADO – Como é que você sugeriria, daqui eu vou passar na casa do presidente Sarney.
RENAN – [inaudível]
MACHADO – Onde?
RENAN – Lá, ou na casa do Romero.
MACHADO – Na casa do Romero. Tá certo. Que horas mais ou menos?
RENAN – Não, a hora que você quiser eu vou estar por aqui, eu não vou sair não, eu vou só mais tarde vou encontrar o Michel.
MACHADO – Michel, como é que está, como é que está tua relação com o Michel?
RENAN – Michel, eu disse pra ele, tem que sumir, rapaz. Nós estamos apoiando ele, porque não é interessante brigar. Mas ele errou muito, negócio de Eduardo Cunha… O Jader me reclamou aqui, ele foi lá na casa dele e ele estava lá o Eduardo Cunha. Aí o Jader disse, ‘porra, também é demais, né’.
MACHADO – Renan, não sei se tu viu, um material que saiu na quinta ou sexta-feira, no UOL, um jornalista aqui, dizendo que quinta-feira tinha viajado às pressas…
RENAN – É, sacanagem.
MACHADO – Tu viu?
RENAN – Vi.
MACHADO – E que estava sendo montada operação no Nordeste com Polícia Federal, o caralho, na quinta-feira.
RENAN – Eu vi.
MACHADO – Então, meu amigo, a gente tem que pensar como é que encontra uma saída para isso aí, porque isso aí…
RENAN – Porque não…
MACHADO – Renan, só se fosse imbecil. Como é que tu vai sentar numa mesa para negociar e diz que está ameaçado de preso, pô? Só quem não te conhece. É um imbecil.
RENAN – Tem que ter um fato contra mim.
MACHADO – Mas mesmo que tivesse, você não ia dizer, porra, não ia se fragilizar, não é imbecil. Agora, a Globo passou de qualquer limite, Renan.
RENAN – Eu marquei para segunda-feira uma conversa inicial com [inaudível] para marcar… Ela me disse que a conversa dela com João Roberto [Marinho] foi desastrosa. Ele disse para ela… Ela reclamou. Ele disse para ela que não tinha como influir. Ela disse que tinha como influir, porque ele influiu em situações semelhantes, o que é verdade. E ele disse que está acontecendo um efeito manada no Brasil contra o governo.
MACHADO – Tá mesmo. Ela acabou. E o Lula, como foi a conversa com o Lula?
RENAN – O Lula está consciente, o Lula disse, acha que a qualquer momento pode ser preso. Acho até que ele sabia desse pedido de prisão lá…
MACHADO – E ele estava, está disposto a assumir o governo?
RENAN – Aí eu defendi, me perguntou, me chamou num canto. Eu acho que essa hipótese, eu disse a ele, tem que ser guardada, não pode falar nisso. Porque se houver um quadro, que é pior que há, de radicalização institucional, e ela resolva ficar, para guerra…
MACHADO – Ela não tem força, Renan.
RENAN – Mas aí, nesse caso, ela tem que se ancorar nele. Que é para ir para lá e montar um governo. Esse aí é o parlamentarismo sem o Lula, é o branco, entendeu?
MACHADO – Mas, Renan, com as informações que você tem, que a Odebrecht vai tacar tiro no peito dela, não tem mais jeito.
RENAN – Tem não, porque vai mostrar as contas. E a mulher é [inaudível].
MACHADO – Acabou, não tem mais jeito. Então a melhor solução para ela, não sei quem podia dizer, é renunciar ou pedir licença.
RENAN – Isso [inaudível]. Ela avaliou esse cenário todo. Não deixei ela falar sobre a renúncia. Primeiro cenário, a coisa da renúncia. Aí ela, aí quando ela foi falar, eu disse, ‘não fale não, pelo que conheço, a senhora prefere morrer’. Coisa que é para deixar a pessoa… Aí vai: impeachment. ‘Eu sinceramente acho que vai ser traumático. O PT vai ser desaparelhado do poder’.
MACHADO – E o PT, com esse negócio do Lula, a militância reacendeu.
RENAN – Reacendeu. Aí tudo mundo, legalista… Que aí não entra só o petista, entra o legalista. Ontem o Cassio falou.
MACHADO – É o seguinte, o PSDB, eu tenho a informação, se convenceu de que eles é o próximo da vez.
RENAN – [concordando] Não, o Aécio disse isso lá. Que eu sou a esperança única que eles têm de alguém para fazer o…
MACHADO – [Interrompendo] O Cunha, o Cunha. O Supremo. Fazer um pacto de Caxias, vamos passar uma borracha no Brasil e vamos daqui para a frente. Ninguém mexeu com isso. E esses caras do…
RENAN – Antes de passar a borracha, precisa fazer três coisas, que alguns do Supremo [inaudível] fazer. Primeiro, não pode fazer delação premiada preso. Primeira coisa. Porque aí você regulamenta a delação e estabelece isso.
MACHADO – Acaba com esse negócio da segunda instância, que está apavorando todo mundo.
RENAN – A lei diz que não pode prender depois da segunda instância, e ele aí dá uma decisão, interpreta isso e acaba isso.
MACHADO – Acaba isso.
RENAN – E, em segundo lugar, negocia a transição com eles [ministros do STF].
MACHADO – Com eles, eles têm que estar juntos. E eles não negociam com ela.
RENAN – Não negociam porque todos estão putos com ela. Ela me disse e é verdade mesmo, nessa crise toda –estavam dizendo que ela estava abatida, ela não está abatida, ela tem uma bravura pessoal que é uma coisa inacreditável, ela está gripada, muito gripada– aí ela disse: ‘Renan, eu recebi aqui o Lewandowski,
querendo conversar um pouco sobre uma saída para o Brasil, sobre as dificuldades, sobre a necessidade de conter o Supremo como guardião da Constituição. O Lewandowski só veio falar de aumento, isso é uma coisa inacreditável’.
MACHADO – Eu nunca vi um Supremo tão merda, e o novo Supremo, com essa mulher, vai ser pior ainda. […]
MACHADO – […] Como é que uma presidente não tem um plano B nem C? Ela baixou a guarda. [inaudível]
RENAN – Estamos perdendo a condição política. Todo mundo.
MACHADO – [inaudível] com Aécio. Você está com a bola na mão. O Michel é o elembto número um dessa solução, a meu ver. Com todos os defeitos que ele tem.
RENAN – Primeiro eu disse a ele, ‘Michel, você tem que ficar calado, não fala, não fala’.
MACHADO – [inaudível] Negócio do partido.
RENAN – Foi, foi [inaudível] brigar, né.
MACHADO – A bola está no seu colo. Não tem um cara na República mais importante que você hoje. Porque você tem trânsito com todo mundo. Essa tua conversa com o PSDB, tu ganhou uma força que tu não tinha. Então [inaudível] para salvar o Brasil. E esse negócio só salva se botar todo mundo. Porque deixar esse Moro do jeito que ele está, disposto como ele está, com 18% de popularidade de pesquisa, vai dar merda. Isso que você diz, se for ruptura, vai ter conflito social. Vai morrer gente.
RENAN – Vai, vai. E aí tem que botar o Lula. Porque é a intuição dele…
MACHADO – Aí o Lula tem que assumir a Casa Civil e ser o primeiro ministro, esse é o governo. Ela não tem mais condição, Renan, não tem condição de nada. Agora, quem vai botar esse guizo nela?
RENAN – Não, [com] ela eu conversa, quem conversa com ela sou eu, rapaz.
MACHADO – Seguinte, vou fazer o seguinte, vou passar no presidente, peço para ele marcar um horário na casa do Romero.
RENAN – Ou na casa dele. Na casa dele chega muita gente também.
MACHADO – É, no Romero chega menos gente.
RENAN – Menos gente.
MACHADO – Então marco no Romero e encontra nós três. Pronto, acabou. [levanta-se e começam a se despedir] Amigo, não perca essa bola, está no seu colo. Só tem você hoje. [caminhando] Caiu no seu colo e você é um cara predestinado. Aqui não é dedução não, é informação. Ele está querendo me seduzir, porra.
RENAN – Eu sei, eu sei. Ele quem?
MACHADO – O bicho daqui, o Janot.
RENAN – Mandando recado?
MACHADO – Mandando recado.
RENAN – Isso é?
MACHADO – É… Porra. É coisa que tem que conversar com muita habilidade para não chegar lá.
RENAN – É. É.
MACHADO – Falando em prazo… [se despedem]
Segunda conversa:
MACHADO – […] A meu ver, a grande chance, Renan, que a gente tem, é correr com aquele semi-parlamentarismo…
RENAN – Eu também acho.
MACHADO –…paralelo, não importa com o impeach… Com o impeachment de um lado e o semi-parlamentarismo do outro.
RENAN – Até se não dá em nada, dá no impeachment.
MACHADO – Dá no impeachment.
RENAN – É plano A e plano B.
MACHADO – Por ser semi-parlamentarismo já gera para a sociedade essa expectativa [inaudível]. E no bojo do semi-parlamentarismo fazer uma ampla negociação para [inaudível].
RENAN – Mas o que precisa fazer, só precisa tres três coisas: reforma política, naqueles dois pontos, o fim da proibição…
MACHADO – [Interrompendo] São cinco pontos:
[…]
RENAN – O voto em lista é importante. [inaudível] Só pode fazer delação… Só pode solto, não pode preso. Isso é uma maneira e toda a sociedade compreende que isso é uma tortura.
MACHADO – Outra coisa, essa cagada que os procuradores fizeram, o jogo virou um pouco em termos de responsabilidade […]. Qual a importância do PSDB… O PSDB teve uma posição já mais racional. Agora, ela [Dilma] não tem mais solução, Renan, ela é uma doença terminal e não tem capacidade de renunciar a nada. [inaudível]
[…]
MACHADO – Me disseram que vai. Dentro da leniência botaram outras pessoas, executivos para falar. Agora, meu trato com essas empresas, Renan, é com os donos. Quer dizer, se botarem, vai dar uma merda geral, eu nunca falei com executivo.
RENAN – Não vão botar, não. [inaudível] E da leniência, detalhar mais. A leniência não está clara ainda, é uma das coisas que tem que entrar na…
MACHADO –…No pacote.
RENAN – No pacote.
MACHADO – E tem que encontrar, Renan, como foi feito na Anistia, com os militares, um processo que diz assim: ‘Vamos passar o Brasil a limpo, daqui para frente é assim, pra trás…’ [bate palmas] Porque senão esse pessoal vão ficar eternamente com uma espada na cabeça, não importa o governo, tudo é igual.
RENAN – [concordando] Não, todo mundo quer apertar. É para me deixar prisioneiro trabalhando. Eu estava reclamando aqui.
MACHADO – Todos os dias.
RENAN – Toda hora, eu não consigo mais cuidar de nada.
[…]
MACHADO – E tá todo mundo sentindo um aperto nos ombros. Está todo mundo sentindo um aperto nos ombros.
RENAN – E tudo com medo.
MACHADO – Renan, não sobra ninguém, Renan!
RENAN – Aécio está com medo. [me procurou] ‘Renan, queria que você visse para mim esse negócio do Delcídio, se tem mais alguma coisa.’
MACHADO – Renan, eu fui do PSDB dez anos, Renan. Não sobra ninguém, Renan.
[…]
MACHADO – Não dá pra ficar como está, precisa encontrar uma solução, porque se não vai todo mundo… Moeda de troca é preservar o governo [inaudível].
RENAN – [inaudível] sexta-feira. Conversa muito ruim, a conversa com a menina da Folha… Otavinho [a conversa] foi muito melhor. Otavinho reconheceu que tem exageros, eles próprios tem cometido exageros e o João [provável referência a João Roberto Marinho] com aquela conversa de sempre, que não manda. […] Ela [Dilma] disse a ele ‘João, vocês tratam diferentemente de casos iguais. Nós temos vários indicativos’. E ele dizendo ‘isso virou uma manada, uma manada, está todo mundo contra o governo.’
MACHADO – Efeito manada.
RENAN – Efeito manada. Quer dizer, uma maneira sutil de dizer “acabou”, né.
[…]


quarta-feira, 25 de maio de 2016

Então quer dizer que são somente os homens que vão pra cadeia quando beijam uma menor?


Foi acusada de tirar uma #Xereselfie

Presa hoje de manhã mocinha donzela que mora em Barracão na praia de Caueira em Sergipe!
Foi acusada de tirar uma Xereselfie.
‪#‎Sergipe‬ ‪#‎XereSelfie‬ agora vai esfregar sua pepeka na cadeia kkkk





Produtores de “Frozen” confirmam teoria sobre o filme

Várias teorias rondam os famosos filmes da Disney. Algumas delas fazem algum sentido, outras são pura fantasia de fãs que deixam a imaginação voar. Muitas vezes não dava para saber quais teorias eram verdadeiras e quais não, porque os produtores nunca confirmavam nem negavam nada...Pelo menos até agora!
A equipe que produziu “Frozen: Uma aventura congelante” se reuniu para responder todas as perguntas que o público tinha vontade de fazer para esclarecer suas dúvidas de uma vez por todas!
Se você é fã dos desenhos da Disney, vai querer conhecer esse segredo!
“Frozen” é um filme que faz os espectadores rir, chorar e cantar ao mesmo tempo.
Quem não se apaixonou por Olaf? O boneco de neve mais fofo e simpático do cinema conquistou milhares de corações em todo o mundo.
E claro, não nos esquecemos de Kristoff e seu fiel amigo Sven.
Descubra o segredo de “Frozen” nas próximas páginas!
Como já dissemos, os membros da equipe que trabalhou na produção de “Frozen” se reuniram para responder às perguntas dos fãs do filme. Os fãs de todo o mundo perguntaram aos produtores sobre vários aspectos do filme e dos personagens. Ficamos bem contentes de ler tudo o que eles disseram.
Não podíamos deixar de ler os comentários dos fãs e as respostas interessantes dos produtores... Com certeza muitos fãs ficaram muito felizes por receberem respostas para suas perguntas.
Mas uma coisa que a gente não esperava aconteceu e deixou todo mundo boquiaberto!
Na hora que uma pessoa perguntou para onde estavam indo os pais de Anna e Elsa quando morreram no acidente de barco, um dos produtores respondeu que naquele dia eles não morreram como todos pensavam, mas se salvaram por um milagre e recuperaram a consciência em uma ilha tropical. Sem nenhuma possibilidade de voltar para casa nem de se comunicar com ninguém, eles construíram uma casa na árvore para morar.
Depois de um tempo, a rainha teve outro bebê. Você já ouviu essa história antes? Acho que você já sabe do que estamos falando. Um dos produtores confirmou que era verdadeira a teoria que dizia que o outro filho do rei e da rainha de Arandelle e que nasceu na selva era o Tarzan! Isso quer dizer que os pais de Anna e Elsa também são os pais do Tarzan.
É incrível! Você consegue ver a semelhança?
É uma pena que os pais de Tarzan tenham sido comidos por um leopardo. Morreram de um jeito ainda pior do que a gente achava ter sido.
Você consegue ver como a pequena Anna é parecida com seu irmão Tarzan quando ele era pequeno?
Agora, pensando melhor, tudo parece fazer sentido!
Fonte: Imgur/giphy/Reddit
4513

A arrepiante história da origem de "Peppa Pig". Você não vai deixar que seus filhos vejam este desenho de novo!

Sabemos que as crianças pequenas são capazes de ficar por horas e horas em frente à televisão vendo esse desenho monótono e mal desenhado que, com certeza, tem estilo parecido com “Caillou” ou “Pocoyo”. Porém, a horrível verdade que está escondida por trás de “Peppa Pig” é bastante triste, já que a história de como tudo surgiu não é tão encantadora nem tão simples como costuma acontecer...
Todos os meninos e meninas gostam da personagem de “Peppa Pig” e os pais não costumam ver nada de mal nesse desenho animado. Porém, quando terminar de ler esta história e conhecer sua verdadeira origem, jamais voltará a colocar esse programa para seus filhos.
A tal história foi contada por um pai que, ao se recordar de momentos traumáticos de sua infância, os relacionou claramente a essa criatura.
“Há aproximadamente uma década e meia, eu vivia em uma granja junto com meus pais. A poucos metros de nossa casa vivia uma família que se dedicava a criar porcos, além de lá funcionar também um matadouro. O criadouro de porcos era dos Smith, cujos negócios não iam muito bem pois suas vendas estavam caindo constantemente.
O certo é que essa família era composta por somente dois membros, Peppa Smith e seu pai, Johan Smith. A mãe da menina havia sido levada para a prisão por tentar assassinar seu marido Johan com um machado, na frente de sua filha, quando estava em estado ébrio.

Pois bem, essa Peppa de quem falamos era minha amiga. Era uma garota agradável e dócil, apesar de tudo pelo que havia passado. Tinha sardas no rosto e era um pouco gordinha, coisa que havia herdado de seu pai. Às vezes, eu acompanhava Peppa para dar de comer a seus porcos, dos quais Peppa tinha seus favoritos.
Era uma família de porcos, onde o macho era um animal enorme e obeso (se me lembro bem, Peppa dizia que ele estava meio cego) e a fêmea pôde ter somente duas crias, por ser pouco fértil. Uma das crias, um simpático leitãozinho, não fazia como os outros, não fazia “oinc”, só grunhia como um demônio (ou um dinossauro) e a outra leitoa era extremamente grande também.

Leia mais sobre a origem de “Peppa Pig” nas próximas páginas.
Essa última havia sido vítima de uma mutação no ventre de sua mãe, por isso parecia maior em comparação com o resto. Peppa e eu costumávamos fazer desenhos com giz na parede do meu celeiro. Um dia, como outro qualquer, enquanto eu e minha pouca imaginação desenhávamos uma flor, minha amiga estava desenhando uma espécie de bosque que era bem estranho.
Com um giz cor-de-rosa, desenhou a sua família de porcos favorita vestindo camisetas e vestidos, o que era bem engraçado. Peppa viu que eu estava sorrindo e me apresentou sua obra de arte com uma voz bastante orgulhosa de si mesma: “Essa que você vê aqui é minha Mamãe Pig. Quem está ao seu lado é George e tem nas suas patinhas um dinossauro de pelúcia porque gosta de rugir como eles. Depois vem Papai Pig, que usa óculos porque não enxerga bem. E a última vai se chamar... Peppa Pig, que nem eu, porque gosto muito dela e ela se parece bastante comigo".

Minha amiga gostou tanto de seu desenho que chamou seu pai para ver. Quando o senhor Johan chegou, pegou Peppa pelas tranças e começou a gritar: “Maldita! Quantas vezes falei para não fazer carinho nos porcos? Hoje de manhã arrumei a máquina trituradora e vou voltar com a produção de carne. Esses animais putrefatos que você desenhou na parede estão doentes! Amanhã mesmo vou me desfazer deles e os venderei ao açougueiro”.
Peppa começou a chorar e eu fui abraçá-la, mas eu pai se colocou no meu caminho e a levou para triturar restos para dar de comer aos porcos. Ela estava muito triste, dava para escutar da minha casa como ela chorava, quando o pai começou a dar machadadas no porquinho que ela havia chamado de Peppa Pig.

Ela veio para perto do meu celeiro com as mãos cobertas de sangue do animal para ficar comigo e, entre lágrimas e choros, pintou com sangue o vestido da porquinha menor, a Peppa. Depois desenhou um sorriso vermelho sobre o giz rosa e parou de chorar. Levantou o olhar até mim, deu alguns passos lentos e sussurrou para eu ir com ela triturar os restos de dejetos, porque não haviam acabado os do dia anterior.
Eu a segui e chegamos na máquina trituradora, uma máquina automática imensa de grande potência. Minha amiga a ligou e encheu uma bacia de coisas desagradáveis e subiu uma escadinha. Uma vez em cima, eu a vi jogar o conteúdo e logo depois desceu com algo ainda mais fedorento.

De repente a máquina parou. Fazia um barulho como se algo estivesse entalado. As poderosas engrenagens haviam deixado de funcionar e Peppa, com cara de cansaço, voltou a subir a escada para ver o que havia de errado.
Não sei se foi proposital ou simplesmente um acidente. Peppa estava com o braço enfiado dentro da máquina enquanto a força das engrenagens a empurrava para dentro. Da canaleta por onde saía a espessa e fedida pasta, saía muito sangue, que estava jorrando para todas as partes. Nesse momento, Peppa começou a gritar meu nome e a pedir ajuda.

Eu, paralisado de pânico, corri até ela, mas tropecei e derrubei a pequena escada que ainda sustentava os pés de Peppa. A menina já havia triturado seu braço até o ombro e a máquina continuava. Inocentemente e com a intenção de desligar a máquina, me dirigi à canaleta da pasta e toquei tudo aquilo... Mas o sangue espirrou na minha cara e um pedaço de Peppa chegou na minha boca.
Eu só escutava os gritos horríveis de Peppa, que ainda estava viva. Eram os gritos mais desesperadores que eu ouvi na minha vida. Mas, de repente, pararam. A máquina havia engolido o corpo todo de Peppa. Eu estava em choque, então saí chorando pela porta quando umas mãos me seguraram rapidamente. Eram meus pais e Johan, que haviam ido ajudar ao escutar o barulho.

O pai de Peppa viu as pernas de sua filha penduradas na parte superior do triturador automático. Tirou com força, como se quisesse salvá-la da máquina, mas a máquina, já quase atolada, não parava de trabalhar, fabricando essa pasta ensanguentada do que sobrou dela.
Meus pais me levaram correndo para casa, pedindo que eu esquecesse, quando o lógico seria me perguntar tudo o que havia acontecido.

Na noite seguinte, o corpo de Johan Smith foi encontrado na parede do meu celeiro. Seu rosto havia sido desfigurado por uma escopeta que havia disparado entre seus olhos. O pai havia se suicidado aos pés do desenho de sua filha.
O sangue era muito escuro, como a terra, fazendo com que a família de porcos ficasse sob verdadeiro lodo, já que os porcos adoram chafurdar lá. Quando pude me recompor, a polícia estava examinando o lugar dos acontecimentos. Havia um repórter, que me entrevistou e me pediu detalhes do ocorrido.

Pouco depois, ficamos sabendo que a história foi pega pelos criadores da série, que ficaria conhecida postumamente, mostrando o dia-a-dia da simpática porquinha, chamada Peppa, que vive feliz com sua encantadora família, nas colinas...
Na próxima vez que minha filha reclamar, não poderei deixar de lembrar desses desenhos que aquela menina pintou na parede do meu celeiro, agora encarnados na televisão. Ainda posso sentir seu sangue em minhas mãos. Não a esquecerei, Peppa Pig."

Fonte:giphy/youtube
1545